Novo Cooperjovem é apresentado a educadores e cooperativas na Paraíba

Novo Cooperjovem é apresentado a educadores e cooperativas na Paraíba

Hoje é um dia de aprendizado e alegria para o Programa Cooperjovem na Paraíba. Após quase dois anos sem eventos, o Programa retoma suas atividades presenciais com o Encontro de Sensibilização do Novo Cooperjovem. A ação acontece até o fim da tarde no Littoral Hotel, em João Pessoa.

Ao todo, 47 pessoas participam do evento, entre professores, gestores escolares e municipais de João Pessoa, Campina Grande, Pedras de Fogo, Cabedelo, Conde, Rio Tinto e João Pessoa. Também participam representantes das coops parceiras Frutiaçu, Uniodonto JP, Unimed JP, Sicredi e Instituto Sicoob.

O Encontro também contou com, ainda, com a presença do presidente do Sistema OCB/PB, André Pacelli, o superintendente Pedro D’Albuquerque, a gerente de Desenvolvimento de Cooperativas, Ana Margarida Formiga, e da analista Josilma Beltrão.  

“Para nós do Sescoop Paraíba, é uma satisfação muito grande a reformatação do Cooperjovem. A Paraíba sempre teve uma participação muito exitosa no Programa, com engajamento das escolas e das nossas cooperativas. Agora, com este novo formato, a gente acredita que a empolgação será ainda maior, mais cooperativas, mais escolas, mais municípios, mais professores engajados e envolvidos, divulgando o cooperativismo e promovendo a cultura da cooperação entre as crianças e os adolescentes”, afirmou o presidente André Pacelli.

 

Gamificação e Eixos de Aprendizagem

A ministrante do Encontro é a professora Carmem Machado. Mestra e doutoranda em Educação, ela atua junto ao Programa há mais de 15 anos. Hoje, a professora está apresentando aos participantes o Novo Cooperjovem, que usa a metodologia da gamificação para trabalhar com os princípios da cooperação em sala de aula. As atividades serão desenvolvidas tendo em vistas os eixos: Educação Empreendedora, Educação Financeira, Educação Socioambiental e Educação Cooperativista.

“Vamos atuar em sala de aula como anteriormente, mas diretamente junto aos currículos, junto às atividades de sala de aula e dando mais liberdade para o professor criar e, principalmente, atuando dentro da BNCC (Base Nacional Comum Curricular). A gente vai estar com a metodologia, atuando dentro das competências do BNCC, dando uma ferramenta para o professor em sua atuação pedagógica”, contou a professora.